Se o céu é o mar de Brasília, a capital da República pode ser considerada o Havaí brasileiro para a prática do voo livre. O clima predominantemente seco e os bons ventos formam as condições ideais para quem deseja voar.

 

Não por acaso, os apaixonados pelo céu brasiliense procuram diversas maneiras de desbravá-lo. A partir do domínio da modalidade é possível passar até mesmo horas mergulhando no ar. No avião chamado Brasília, os adeptos do esporte podem pilotar as suas próprias asas.

 

O voo livre tem duas modalidades: a asa delta e o parapente. Diferente de outros esportes praticados no ar, como paraquedismo e sky dive, no voo livre a pessoa não salta de um avião. Ela decola de cima de uma montanha. A sensação é a de voar mesmo, de controlar a viagem. O voo livre se define da melhor forma possível: ele é, de fato, livre.

 

Passear pelo céu de Brasília é uma opção para quem deseja melhorar a qualidade de vida, sair da rotina e exercitar não só o corpo, mas a mente. Sejam quais forem os motivos, quem decide por esse esporte faz uma ótima escolha. O céu limpo e as condições de vento são ideais no cerrado brasiliense. É por isso que todos os anos a Esplanada dos Ministérios se torna palco para uma disputa internacional de asa delta. Quando o assunto é voo livre, Brasília é referência mundial.

 

Localizado nas proximidades da área do EcoBocaina, o Salto do vale do Paranã recebe anualmente, desde 84, uma etapa do campeonato brasileiro de Voo Livre e em 2017 será realizado pela segunda vez o Campeonato Mundial da modalidade. As decolagens ocorrem do vale do Paranã – distante 80 quilômetros da capital – e os pousos, na Esplanada dos Ministérios. A melhor época para a prática do Voo Livre no Vale do Paranã está compreendido entre Julho e Setembro, devido à ocorrência das térmicas de vento mais intensas.

 

Fonte: http://calangosoul.com/infograficos/ceu/voolivre/

 

voo_livre

Siga-nos!

Fique por dentro de novidades e promoções através das redes sociais.